Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Réstias do Tempo - BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

Réstias do Tempo - BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

Um anuro no bueiro

Um anuro no bueiro

O ANFÍBIO é uma criatura que tem pulmões e guelras, que tanto pode viver na água como em terra. Por exemplo: A rã, afins ou similares.

O ANFÍBIO nasce no charco. Chama-se GIRINO e dá muito ao rabo quando é pequenino… cresce, vê uma poça de água, mergulha de cabeça.

Tenho uma distante ideia de que uma nova moda dos meados do Século XX recomendava que as mulheres tivessem os filhos dentro de água.

Não sei… não tenho a certeza se isto é mesmo verdade…

Mas que anda por aí uma espécie de anuro que mergulha de cabeça à vista do primeiro bueiro, é uma verdade... Juro que é verdade.

Ainda por cima, desconfio, parece-me ser fruto dessa época?

Aniceto Carvalho

A verdade sobre Salazar

Atentem nas palavras do Líder Carismático do Partido Socialista, Mário Soares, «Pai da Liberdade, da Democracia e da Descolonização Exemplar» (nem Padrasto...) que naquela hora de Lucidez não só disse Verdades sobre Salazar (Que Descanse em Paz!) como, pelo contraditório, apontou Enormes Defeitos aos seus Correligionários e Adversários Políticos.

Políticos Ignorantes do Absoluto Rigor e dos Inabaláveis Princípios Éticos,  que hoje, 49 anos depois da sua Morte não têm ponta de vergonha de acusarem SALAZAR do que se passa actualmente em Portugal.

Todo o resto do vídeo decorre em afirmações que NENHUM dos Políticos Portugueses desde o celebrado Abril de 1974, salvo uma ou outra honrosa excepção, merece que se lhes dedique um pingo de respeito.

Políticos que continuam a mostrar, cada vez mais, a sua incapacidade para Governar ao mesmo tempo que tornaram PORTUGAL num País Onde Roubar Tirar Usurpar Gamar Aldrabar é Legal.

Um Péssimo Exemplo para os Mal Governados.       

Passaram há poucos dias 129 anos sobre a data do nascimento do Professor António de Oliveira Salazar, altura em que o país assiste ao espectáculo degradante  de Sócrates e de Pinho, vale a pena ver este vídeo.  

A CONSTATAÇÃO

Segundo as últimas, parece ter-se chegado finalmente à conclusão por aí que gavetas cheias de papeis não apertam parafusos, que cartão do partido não é sinónimo de honestidade e verticalidade, que canudo não é garantia de inteligência, de competência ou de que se saiba fazer alguma coisa.

(As "últimas" resultam de umas declarações ao mais alto nível ao que parece muito envergonhadas com a podridão que escorre nas sarjetas).  

Esperemos que, como nos constou, que qualquer candidato a político venha a ser escrutinado até ao limite… que um dia qualquer destes o governante corrupto e a dita comunicação social que dele se alimenta não passem de uma recordação dos  últimos quarenta anos. Façamos votos para um dia o governante nos mereça o respeito que devia merecer… 

Acreditemos que as premonições do Marcelo Caetano sejam uma lembrança tenebrosa de um período fatídico da História de Portugal. Amém

Aniceto Carvalho

Acabei de ouvir

ACABEI DE OUVIR..

QUE, alguém responsável por um serviço nacional de qualquer coisa, não sabe a diferença entre uma fotocopiadora e uma ambulância.

Não sou eu que invento… os que os conhecem é que o dizem… (Como eu sabia dos profissionais que trabalhavam comigo no meu tempo):

Dizem que o director de A não sabe a diferença entre um grilo e uma vaca loira, que o responsável de B não diferencia uma laranjeira de um pinheiro, que o gestor de C não distingue uma galinha de uma couve flor.

OUVE-SE POR AÍ… É recorrente, no dia a dia ao mais alto nivel.

Pergunta então a minha curiosidade: Haverá por acaso alguma área da vida portuguesa onde haja gente competente a dirigir alguma coisa? 

Tenho muitas dúvidas… e as amostras estão por aí:

O filme português que vi esta madrugada na RTP, (exibição de madrugada, diz tudo), confirma o retracto de um país entregue ao Deus dará.

Aniceto Carvalho.