Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Réstias do Tempo - BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

Réstias do Tempo - BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

O Incomparável

Nunca comparar o que não é comparável...

Clic e veja: - Marcello das Neves Caetano

Mas não acredite no que se diz... Leia, leia coisas...

Por exemplo, aqui à  sua disposição: - Depoimento

Depois, a um inesperado encontro com uma sumidade das estepes, pergunte-lhe:

Você já leu o "Depoimento"? 

Publicado em 1976, dois anos depois do 25 de Abril,  foi recentemente compilado em PDF.

Tenho estado a convertê-lo em Word para o guardar com o formato ao meu jeito, aproveitando a circunstância para também o ler com todo o preceito.

Para quem foi apanhado pelo 25 de Abril aos 39 anos de idade, e aempre tem feito questão de primar por viver atento e de olhos bem abertos, antes e depois, o "DEPOIMENTO" é uma obra de incalculável valor a 42 anos de distância da sua publicação.

 Aniceto Carvalho

Quem torto nasce, tarde ou nunca se endireita!

Tão verdade hoje como no tempo do Viriato.

Aos terroristas, desertores, traidores, analfabetos, criminosos comuns, etc., estava reservada uma cadeira vitalícia no parlamento... aos portugueses de bem mais ilustres, até os "sagrados" direitos adquiridos, a pensão de reforma por uma vida de trabalho pelo paí­s, lhes foram roubados.

E assim começou há 44 anos um período áureo da História de Portugal, com políticos borrados de medo da própria sombra pelo esterco que têm feito e deixado pelo caminho.

Aniceto Carvalho 

Camelos à solta

CAMELOS À SOLTA

Enquanto milhares de portugueses davam o sangue na Guerra do Ultramar pela sua Pátria, cáfilas de camelos à solta guinchavam de gozo alarve em Cascais à voz de um merdoso americano que dedicava cantigas aos assassinos dos filhos do país que lhe estava a pagar os coices.

Há gente na qual até o ar que respira é mal empregado.

http://www.jazzlogical.net/jazzologia/cascais%20jazz%201971.htm

Aniceto Carvalho

Portugal no Mundo

PORTUGAL PELO MUNDO

Extraordinário artigo na CNN sobre a gastronomia portuguesa.

Clic e veja: - Gastronomia Portuguesa na CNN

Acabei de ver o "Rio Vermelho",  um colossal filme americano, estreado por cá em Fevereiro de 1950 o qual, como se sabe, sensivelmente ao mesmo tempo que estava a ser exibido tanto nos Estados Unidos da América do Norte como em qualquer outra parte do mundo.

Num outro desses canais - no AMC - estava a dar o "Top Gun".

Qual destes dois filmes o mais diferente em género um do outro... e no entanto, como há setenta anos, quando comecei a ler a Banda Desenhada e as Selecções do Readers Digest, sempre com a mesma finalidade patriótica de inaltecer tudo o que seja ou cheire a americano.

Nos Estados Unidos é assim: O Estadunidense tem orgulho de o ser.

Nós por cá, na nossa própria terra, com um Acervo Histórico do tamanho do mundo, temos gente minúscula e reles na televisão a reduzir a cinzas o que os patriotas avoengos lhes deixaram de mão beijada, para o qual nunca contribuí­ram nem mexeram uma palha.

Graaças a Deus que nos vão aparecendo coisas destas aqui e ali...

Aniceto Carvalho

Cansados de greves

CANSADOS DE GREVES

Cansados de greves e manifestações. 

Em dois concursos televisivos na mesma semana.

Dois professores de perto dos 50 anos de idade, do ensino secundário, não sei de quê, não percebi  bem, e mesmo que tivessee  percebido, com tantos cursos e sabedorias que andam por aí, por certo ficava na mesma. Foi-lhes perguntado:

"Das quatro hipóteses possíveis, quem mandou matar a Dona Inês de Castro?

 D. Pedro I, D. Fernando I, D. Afonso IV ou D. Afonso VI?"...

"D. Afonso VI" - responderam os dois. 

A SEGUNDA REPÚBLICA

Já vamos na terceira república. Todas fruto

de revoluções das quais, curiosamente, só

se comemoram a primeira e a terceira.  

Precisamente. E a melhor. O Perí­odo Histórico mais próspero que Portugal VIVEU... que,

SABE-SE LÁ PORQUÊ, muita gente não quer que se saiba ou se conheça.

O QUE EXPLICA MUITA COISA... PORQUE SERÁ?... 
COITADINHO DE QUEM É ALEIJADINHO!!!

(É mentira? Já que me está a desmentir... Vocè sabe o nome da Terceira Dinastia?) 

Aniceto Carvalho

INSTITUIÇÃO NACIONAL

INSTITUIÃÇÃO NACIONAL

A inveja é uma instituição nacional. Sabe-se.

A inveja é uma variante do complexo de inferioridade e baixa auto-estima.

Mas não devia de ser assim. O português tem um passado histórico longínquo e fértil que não lhe dá razão absolutamente nenhuma para alimentar qualquer destes sentimentos.

Mas quando o português mal esclarecido tem por aí um antigo polidor de esquinas ressabiado que confunde História de Portugal com politiquice de sarjeta para espezinhar o trabalho e o suor dos  homens que tudo deram por este país ao longo dos séculos passados, que mais se pode exigir a um povo que tem gente desta com programas "culturais"  destes  na televissão?

Zlic e veja em: -  Pontas Soltas

Aniceto Carvalho 

CIDADÃOS/DOUTORES

Quem nunca fez, não sabe fazer

CIDADÃOS/DOUTORES

SIM, É URGENTE E IMPÕEM-SE acabar com esta bandalheira.

Esta gente não tem qualquer direito de andar a estudar à conta do cidadão que trabalha para lhes sustentar os ví­cios... Esta gente tem de ser banida das escolas, para depois, sem mezinhas, mas a trabalhar no duro, ter de demonstrar ao paí­s que merece o nome de cidadão de bem.

Esta gente não pode levar uma vida inteira na boa vai ela para ser doutor à  conta do sacriício de milhões de compatriotas seus, para depois, quando o paí­s mais precisa dele, em vez de correr a defender a sua terra ficar a conspirar pelas esquinas, fugir covardemente para o estrangeiro, a pretender que quem lhe sustentou os ví­cios é que a deve ir defender.

E isto aconteceu em larga escala nos meados do Século XX. 

Esta gente que protesta pelo aumento de cinco cêntimos na refeição da cantina, mas que vai fazer praxes selvagens na Serra da Estrela, jamais devia usufruir dos mesmos direitos que um estudante dedicado que reconhece os sacrifícios do paí­s para fazer dele um homem útil a todos, que respeita os pais e os avós que nunca tiveram as vantagens que ele tem.

Até os homens mais sábios o reconhecem. É uma doença portuguesíssima: Mesmo que seja um zero qualquer pendura sem inteligência nem habilidade tem de ser doutor. Só Deus sabe quantos imbecís tivémos de gramar só porque tinham andado na escola até aos vinte anos, enquanto nós trabalhávamos desde os doze a duzentos quilómetros das saias da mãe.

Há séculos que este paíss se preocupa mais com univerdades para formar doutores de título do que com escolas para cidadãos com bons princípios profissionais e qualificados.

POR FALAR NISSO

Eram dois professores de perto dos 50 anos de idade, do ensino secundário, não sei de quê, não percebi bem, e mesmo que tivesse  percebido, com tantos cursos e sabedorias que andam por aí­, por certo ficava na mesma.  Foi-lhes perguntado:

"Das quatro hipóteses possí­veis, quem mandou matar a Dona Inês de Castro: D. Pedro I,

D. Fernando I, D. Afonso IV ou D. Afonso VI??"...

"D. Afonso VI"  - responderam os dois. 

Como dizia o Nat King Cole: "Quero chorar, não tenho lágrimas".

Aniceto Carvalho

Pág. 2/2