Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

RÉSTIAS DO TEMPO - BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

RÉSTIAS DO TEMPO - BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

QUAL O GALARDÃO?

(63)alb01 (1).gif

(O meu pai, a minha sogra e a minha mãe - 1963)

QUAL O GALARDÃO?

Qual o galardão para um homem que nunca teve uma bicicleta, que reune à sua volta aos setenta anos de idade nove filhos, (dos dez um tinha morrido aos vinte anos de morte natural), todos amigos, todos com vida estável e decente, com casa própria e carro à porta à conta do seu trabalho e honestidade? 
Chamava-se José Adelino Ferreira de Carvalho e era meu pai.

Aniceto Carvalho

IGREJA CATÓLICA

DSC00771.JPG

(Igreja Matriz de Vila Nova de Poiares onde eu fiz a Primeira e a Segunda Comunhão)

IGREJA CATÓLICA

Sou católico por educação e tradição, respeito as pessoas e a sua fé, nunca as fanáticas nem as que não acreditam em nada sem saberem porquè.

Não sou católico de bater com a mão no peito.
Seja qual for a veracidade da fonte, embora por mera curiosidade do dia a dia, acompanhei desde sempre a obra da Igreja Católica. Também um pouco em Portugal, mas principalmente em Angola e Moçambique.
Subscrevo na íntegra o texto que se segue.
SOBRE AS CRÍTICAS é o que se sabe: Se a maior parte dos indivíduos que nunca mexeram uma palha na vida pelo seu semelhante se limitasse a falar somente do que sabe, este mundo era um paraiso de tranquilidade e silêncio.

A IGREJA CATÓLICA e o seu valor social
Da Igreja Católica pouco se conhece e muito se crítica!...
É justo reconhecer o valor da Igreja, em muitos aspectos sociais.
Um deles é o da saúde. Muitas pessoas não sabem que a Igreja Católica é a maior Instituição Caritativa do planeta. Se a Igreja Católica viesse a sair do Continente Africano, 60% das escolas e hospitais seriam fechados.
Quando a epidemia de AIDS estourou nos EUA e as autoridades não sabiam o que fazer, as freiras da Igreja foram convidadas a cuidar dos doentes, porque ninguém mais queria fazê-lo; No Brasil, até 1950, quando não existia nenhuma política de saúde pública, eram as casas de caridade da Igreja que cuidavam das pessoas que não tinham condições de pagar um hospital.
A Igreja Católica mantém:

NA ÁSIA
1.076 hospitais; 3.400 dispensários; 330 leprosários; 1.685 asilos;

3.900 orfanatos; 2.960 jardins de infância.
NA ÁFRICA
964 hospitais;  5.000 dispensários; 260 leprosários; 650 asilos; 800 orfanatos;
2.000 jardins de infância.
NA AMÉRICA
1.900 hospitais; 5.400 dispensários; 50 leprosários; 3.700 asilos;
2500 orfanatos; 4.200 jardins de infância.
NA OCEANIA
170 hospitais; 180 dispensários; 1 leprosário; 360 asilos; 60 orfanatos;
90 jardins de infância.
NA EUROPA
1.230 hospitais; 2.450 dispensários; 4 Leprosários; 7.970 asilos;
2.370 jardins de infância.

Independente de religião, deve reconhecer-se que criticada por fazer nada a Igreja Católica vive em ajudar o próximo. Sabe porquê? Nos tempos que correm não é um valor católico divulgar a caridade.

Aniceto Carvalho

SABE QUEM FOI?

(F)Baptista Pereira (1).jpg

BAPTISTA PEREIRA


Por certo que você  já ouviu falar de um "célebre" roqueiro que tem o nome num avião da TAP, ou de uma senhora de seu nome Snu Abecassis que ninguém sabe a razão porque mereceu um filme como figura de relevo nacional... 

Tudo bem, por cá as coisas são assim.  

Mas, por mero acaso ou eventualidade, já ouviu falar de um tal Baptista Pereira, famoso campeão de natação português e internacional dos anos 50?

Clic aqui, veja quem foi Joaquim Baptista Pereira

Você talvez não, eu entendo... Mas eu eu tive a oportunidade de o ver por mais de uma vez em maratona a subir e a descer o Mar da Palha. 

Aniceto Carvalho

OS TRÊS MAIORES

Três dos maiores estadistas de todos os tempos, não só em Portugal, mas em todo o mundo. Mais relembrados neste  país até aos nossos dias, não pela intemporal obra por si realizada no seu tempo, mas por terem reduzido a trampa, tirado o pio e as mordomias à cáfila de achadiços do costume, que ainda não lhes perduou.
Pelas mesmíssimas razões, tem acontecido com outros. 

Clic e veja: D. João II - O Príncipe Perfeito

(F)Perfeito (3).jpg

De seu nome: Sebastião José de Carvalho e Melo

(F)Pombal1 (2).jpg

Clic e veja:António de Oliveira Salazar

(F)Salazar (1).jpg

Aniceto Carvalho

CHAMA-SE STAND-UP

(4)81anos2 (6).jpg

CHAMA-SE STAND-UP
Estive a ver esta noite uma bacorada a que dão nome de “Stand-up” onde, um pseudo-artista conta anedotas ordinárias, alto e bom som, com todas as letras, para uma sala cheia de casais supostamente gente de bem.
Do pior… para o meu gosto.
Dizia-se nos meus tempos de militar: “Brincadeiras de homens são coices de burro”. Esta singela frase evitou muitas nódoas negras, muitas desavenças e mal entendidos onde toda a união e amizade nunca eram demais.
São princípios: Na minha família, nem na minha área profissional, ninguém chamava nomes a ninguém, não se usavam palavrões, só há pouco tempo me tenho permitido alguma linguagem menos filtrada com o meu filho.
Podem pensar o que quiserem, mas assitir com a minha mulher a um espectáculo destes era uma coisa que nunca na vida me passaria pela cabeça.
NUNCA… POR RESPEITO MÚTUO.
Não ter vergonha de assistir a uma coisa destas com a mulher é falta de respeito… e a falta de respeito leva a tudo do pior que se possa imaginar.
Aniceto Carvalho

E O RESTO É DOR DE CORNO

E O RESTO É DOR DE CORNO
Trabalhava numa fábrica nos anos 80, um dos meus amigos, era ainda um jovem do meu tempo, bom rapaz, mas um pouco destravado.
“Ficou assim por causa da Guerra do Ultramar” - dizia-se.
(O jovem tinha estado em Angola nos anos 60).
Um outro camarada de trabalho mais velho, ali ao lado acrescentou:
“Eu conheço o Manel desde pequeno… o Manel sempre foi assim".
Tal como eu penso: Tenho encontrado por aí centenas de indivíduos completamente desaparafusados que nunca puseram os pés na Guerra da Ultramar. 
Fiz dez anos de Guerra no Ultramar. Ninguém me obrigou a ser militar de carreira.

Conheci alguns jovens do meu tempo que, não por terem fugido, mas porque lhes calhou, não foram mobilizados para o Ultramar.
Nunca lhes conheci depois grandes felicidades por isso.
Nunca faltaram militares nas tropas de ingresso voluntário… e, do contingente geral, se uma grande maioria que lá esteve não tivesse sido mobilizada, os traumas hoje seriam muito maiores e em maior número.
Se fosse eu, nem me poderia olhar ao espelho.
O resto é dor… e conversa para adormecer patego.
Aniceto Carvalho

VIAJANTES DO MUNDO

VIAJANTES DO MUNDO

A 99% dos viajantes do mundo cujo projeto de vida é visitar 

o Macho Picho eu gostava de perguntar se já viram algum programa da série "Visita Guiada".

Aniceto Carvalho

A SENTENÇA DO JUIZ

A SENTENÇA DO JUIZ

Nos velhos tempos não havia abortos destes ou, se os havia, tinham sempre o lugar reservado e certo na estrumeira... mas hoje, um analfabeto que não sabe responder quantos são nove vezes sete no mesmo minuto, e aos quarenta e tal anos vive à conta dos pais, deita palpites sobre a sentença de um juiz. 

 

E AGORA? - Perguntamos: Agora, como é próprio em gente desta, vão aparecer por aí de rabo entre as pernas a pedir testemunhas e solidariedade.

Aniceto Carvalho

CONSERVACIONISTAS

CONSERVACIONISTAS
Com 2.700 quilómetros do Rovuma à fronteira Sul, embora oito vezes e meia maior que Portugal, Moçambique estava muito longe das condições de bem estar humano europeias na maior parte do território.

Uma entidade oficial do Estado sediada em Lourenço Marques que, embora por fora, eu conheci razoavelmente, supervisionava toda uma actividade profissional de Norte a Sul de Moçambique… como sempre, em confortáveis e climatizados gabinetes, e zelosos funcionários, inspectores, que nem profissionais do ramo tinham sido.
Não era preciso acontecer nada de especial na Beira, em Quelimane, nem em Nampula ou Porto Amélia para de repente, sem mais nem menos, aparecer lá na terra um ou dois inspectores a deitar palpites, a moer o juízo de quem trabalhava.
Praia, hotel e ajudas de custo, claro está..
Em Tete era diferente: O banho de calor não compensava as mordomias.

E por isso, parece que a pedido da criatura, o departamento mandava para a cidade do Zambeze uma variante de achadiço/lambe-cus que da profissão percebia zero.
Isto nos anos setenta do Século XX… Já mudou alguma coisa?
Os hotéis de Caracas, de Washington, de Nova Iorque, de Paris, de Bruxelas, da Serra da Estrela, do Buçaco, do Algarve já mudaram para a República Centro Africana, para o Sudão do Sul, para o Afeganistão ou para o Corno de África?

A teoria tanto ao gosto dos conservacionistas de que o homem invade e espanta os animais selvagens do seu habitat natural tem a mesma consistênciaa e veracidade que a do aquecimento global. Na verdade, os animais selvagens é que tendem a andar atrás do homem. Os conservacionistas é que não sabem isso… nem quem os ensina.
Eu ainda gostava que uma criatura destas me explicasse a razão porque grande parte da fauna e da flora desapareceram na minha terra.

Se o lavrador deixa de lavrar a terra nunca mais ninguerm vê a lavandisca a dar ao rabo leira abaixo leira acima atrás do arado. Terra abandonada definha, deixa de respirar, desaparece a cadeia alimentar inferior. Se não há presa não há predador.
Se a figueira de figos bacorinhos deu a alma ao criador sem sentir o calor da mão humana por perto, e o antigo quintal é agora uma selva, e a ninhada de pintos deixou de debicar nas couves, que estariam a fazer os estorninhos em Valr do Forno, e o peneireiro a adejar por cima do olival da Avessada?
Aniceto Carvalho

BEM VINDOS A BEIRAIS

(4)81anos5 (30).jpg

BEM VINDOS A BEIRAIS
Extraído e adaptado de um dos episódios de “Bem Vindos a Beirais”.
Eram duas das cinco aldeias finalistas à “Melhor Aldeia de Portugal”.
Uma mais rica do que a outra. A mais pobre a viver uma situação económica difícil.

É então que a dias da vésperas do concurso aparece o presidente da junta de freguesia da aldeia mais rica a querer "comprar" o presidente da junta de freguesia da povoação mais pobre para que este desistisse do concurso.
Este último, uma mulher, tinha-os no sítio: “Não, nós vamos dar a volta por cima… Embora ainda corrente no nosso dia a dia por esse mundo fora, pão e jogos para não fazer o povo trabalhar, era no tempo dos romanos”.
Aniceto Carvalho

Pág. 2/2