Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A ÚLTIMA FRAGATA ~ BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

A ÚLTIMA FRAGATA ~ BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

RESPEITO RECÍPROCO

(4)onça4 (6).jpg

RESPEITO RECÍPROCO

Se não me respeitam, não sou obrigado a respeitar ninguém.

Com tanta gente de reconhecido valor como exemplo neste país, o que terá feito um tal Vasconcelos, cinesta, para merecer pela idade uma série na RTP?

Se fazia comichão à RTP fazer a biografia de um empresário com o activo de milhares de postos de trabalho e pagamento de milhões em impostos ao Estado para ela pagar os ordenados, ou se lhe custava muito admitir que houve militares portugueses com mérito na Guerra do Ultramar, podia sempre recordar um dos muitos consagrados da ribalta: O Tomás Alcaide, o Raul de Carvalho, o António Vilar, o Luís Piçarra, o António Silva, a Palmira Bastos, a Laura Alves, o Carvário, a Simone, a Madalena…
Mas o Vasconcelos, cineasta?… O que poderá ter feito um Vasconcelos, cineasta, para merecer com o meu dinheiro uma série na televisão pública portuguesa?
Aniceto Carvalho

CAMPANHA DO MEDO

(4)Detritus.jpg

CAMPANHA DO MEDO
(Poste de Vasco Robeiro)
Pretendida por Al Gore é, infelizmente, uma estratégia muito usada e teve eco em Janeiro passado no discurso de Greta Thunberg, a jovem activista ambiental sueca, no Fórum Mundial de Davos: “Os adultos estão sempre a dizer aos jovens para terem esperança. Mas eu não quero a vossa esperança. Não quero que tenham esperança. Quero que entrem em pânico. Quero que sintam o medo que eu sinto todos os dias e quero que ajam. Quero que ajam como se estivessem numa crise. Quero que ajam como se a casa estivesse em chamas – porque está”.

RESPOSTA.
“Estratégia do medo” muito usada desde os deuses pagãos.

Era  Castigo de Deus ou, no meu tempo, na minha terra, era papão. 
O que não se percebe é como alguém do Século XXI, tão supostamente instruída e de vistas largas, insiste em dar ouvidos a gente desta que não sabe a diferença entre uma cegarrega e uma ave canora.
Aniceto Carvalho