Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Réstias do Tempo - BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

Réstias do Tempo - BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

MEMÓRIA É VIDA VIVIDA

MEMÓRIA É VIDA VIVIDA
A minha é das boa, mas prega-me cada uma que me deixa num farrapo.
Por exemplo. Mas antes: Não tem nada a ver com apreciações da arte em causa.

Goste-se ou não, Manuel dos Santos foi o maior toureiro português de sempre. 

Clic e veja: - Manuel dos Santos

(F)Ml.Santos.png

Eu estava presente num dos abundantes repastos no armazém do meu patrão, em Queluz, numa maioria de aficionados tauromaquicos, quando alguém anunciou uma grave colhida do Manuel dos Santos, tendo sido, inclusive, ali falada a sua morte.

Diz a Wikipédia que foi no México em 1947.
Em 1947 estava eu em Rio de Mouro, tinha chegado em Abril.

Lembro-me perfeitamente do movimento de veraneantes lisboetas no Verão desse ano na Mata da fábrica de aguardente de figo dos Vieiras de Torres Novas, de um terramoto de forte intensidade na zona, em Outubro ou Novembro. 

Os meus patrões trespassaram a taberna onde eu estava empregado.

No Verão do ano seguinte, portanto em 1948,  eu já estava trabalhar na fábrica de curtumes, lembro-m que, juntamente com todos os qua habitavam nas instalações termos tomado banho num dos tanques ali existentes.

No dia 27 de Fevereiro de 1949 eu estava em Queluz. Lembro-me muito bem do onde estava a ouvir o relato do Itália-Portugal, em Génova, e do resultado: 1:4.

Eu não podia estar em Queluz em 1947.
Um de nós está errado: Eu ou a Wikipedia. Vá lá a gente saber.

Só que eu estava lá... e os criadores da Wikipedia e o escriba que lá escarrapachou isto, se calhar ainda nem sequer andavam a saltar de um lado para o outro.
Aniceto Carvalho