Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Réstias do Tempo - BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

Réstias do Tempo - BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

No mínimo estranho..

O que eu sei é que percorri este país PELO AR duramte sete anos, de 1954 a 1960, de Norte a Sul e de Este a Oeste e me parecer no mínimuo estranho que numa boa memória como a minha não me ter ficado registado na retina um único incêncio florestal.

Eu sou do tempo do ciclone de 1941... um ciclone como não há memória de outro em Portugal.

Lembro-me muito bem. Disso e muito mais: Aquecimentos globais, protecções da natureza, afins e similares, podem metê-las onde quiserem e empurá-las com  uma esfregona.

(4)81anos5 (21).jpg

Aniceto Carvalho  

POR FALAR EM INCÊNDIOS

(4)81anos5 (20).jpg

POR FALAR EM INCÈNDIOS

O que faria certa gente que anda por aí, se acaso se encontrasse a braços com uma guerra em três frentes, a milhares de quilómetros umas das outras, uma delas a mais de 10.000 da mãe pátria, em territórios todos somados do tamanho de metade da Europa, durante 14 anos? 

O SALAZAR E O CAETANO CONHECIAM-NOS TODOS 

Se eu, no meu ramo, os conhecia, encostados por aqui e ali, nos serviços auxiliares, no deixa andar da antiguidade, aos trinta anos de profissão sem terem evoluído um milímetro nem saberem a diferença entre uma libra por polegada e uma libra por polegagada quadrada, porque não havia o Salazar e o Marcelo, com os meios, de conhecer meia dúzias de cábulas ressabiados cuja única actividade conhecida era conspirar e polir esquinas?  

Se sou fascista? Talvez. Acho que é preferível ser fascista a incompetente.

Aniceto Carvalho

INCÊNDIOS - O AMIGO FOLGOSA

(f)BFaria.jpg

Carlos Mar Bettencourt Faria

O AMIGO FOLGOSA

Conheci o AMIGO FOLGOSA nos finais de 1970, penso que logo da primeira vez que estive no Songo. O AMIGO FOLGOSA era funcionário dos Serviços de Fiscalização do Gabinete do Plano do Zambeze para a Barragem de Cabra Bassa. (O AMIGO FOLGOSA, que era solteirão ou estava sozinho em Moçambique, era mesmo um amigalhaço do melhor que conheci).  
"AMIGO FOLGOSA", porque FOLGOSA era esse o nome dele, porque era assim tratado no mundo Herteziano, por serem essas as duas letras do seu indicativo.
O AMIGO FOLGOSA era, portanto, rádio-amador… Embora numa escala bem mais reduzida do que a estação de rasteio do Bettencourt Faria que eu tinha conhecido em Luanda oito anos antes, com uma caixinha do tamanho de uma gaveta de mesa de cabeceira e duas hastes de alumínio cruzadas por cima do rondável, em 1970, do Médio Zambeze, no Planalto do Songo, na zona da futura barragem de Cabora Bassa, na Costa Oriental da Africa, o AMIGO FOLGOSA falava todos os dias via rádio com vários amigos espalhados pelos confins do mundo.
Estamos em 2019, Ano da Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, a 50 anos de distãcia... sobre tele-comunicações em Portugal estamos conversados.

(4)81anos1 (44).jpg

Aniceto Carvalho

INCÊNDIOS - TELECOMUNICAÇÕES

TELECOMUNICAÇÕES
No princípio dos anos 60 todos os postos administrativos do Norte de Angola a centenas de quilómetros uns dos outros e da capital puderam transmitir os ataque de terrorismo de que estavam a ser alvo… Na costa do Índico, Moçambique, nós falávamos entre acampamentos ao longo de Zambeze, desde a Zâmbia à foz do rio no Chinde.
A centenas e centenas de quilómetros... sem satélites, sem telemóveis.
Hoje com todos esses meios, é o que se sabe sobre comunicações.
Isto sem falar no CB ou no rádio-amadorismo.

(4)81anos1 (49).jpg

Aniceto Carvalho