Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Réstias do Tempo BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

Réstias do Tempo BEYOND

Por mais que repetida, dure o tempo que durar, meio século ou milénios, a mentira é sempre repugnante, vesga, coxa e de perna curta.

A EXTINÇÃO DO NEANDERTAL

(4)81anos1.jpg

A EXTINÇÃO DO NEANDERTAL
Clic aqui e veja:

A Extinção do Neandertal

Diz por aí uma teoria bastante aceite que a ainda inexplicada extinção do Homem de Neandertal se deveu ao seu definhamento por insustentáveis condições no seu habitat do Atlântico aos Urais, do que resultou a sua mestiçagem pelo fluxo da entrada do Homo Sapiens no Continente Europeu.
Engraçado… Nos tempos que correm, dá que pensar, não dá?

O SIGNIFICASO DA ALIANÇA
O casamento é um acto natural no ser humano. (E não só). Tão natural que muitos séculos depois continua tão óbvio como antes.
Apenas as modernices têm alterado os seus princípios.
Digam o que disserem, não me seduz o futuro de um país quando metade da sua população de meia idade não usa aliança de casamento.
Por princípio, na nossa velhinha cultura, quando um homem ou uma mulher de trinta ou quarenta anos não usa aliança de casamento no dedo, está separado, divorciado, desquitado, é solteirão, ou qualquer coisa assim.
Tal como o acto, o uso da aliança de casamento perde-se nos tempos… em qualquer dos casos muito anterior à nossa Cultura Ocidental).
Por princípio, na nossa velhinha cultura de 20 Séculos, quando um homem ou mulher de trinta ou quarenta anos não tem uma aliança de casamento no dedo, é porque à conduta que o devia nortear, prefere uma vida a olhar para o umbigo sem se importar com o rasto que deixa pelo caminho.
Acredite-se ou não, isto pode levar ao fim da espécie humana.
Ou então, pôr a mão na consciência, olhar para trás, e deixar de correr atrás de “novos e desconhecidos valores” e modernices duvidosas.
Uma coisa parece ser garantida: Quando uma população começa a decrescer que ninguém espere que ela se recomponha nas gerações seguintes.


A LOTARIA DA ESPÉCIE
Enquanto as caucasianas se esmeram há 200 anos a destruir os homens que lhes calharam na lotaria da espécie deviam lembrar-se que há milhões de outras mulheres à espera da oportunidade de deixar tudo por eles.
Aniceto Carvalho